To build jQuery, you need to have the latest Node.js/npm and git 1.7 or later. Earlier versions might work, but are not supported. For Windows, you have to download and install git and Node.js. OS X users should install Homebrew. Once Homebrew is installed, run brew install git to install git, and brew install node to install Node.js. Linux/BSD users should use their appropriate package managers to install git and Node.js, or build from source if you swing that way. Easy-peasy. Special builds can be created that exclude subsets of jQuery functionality. This allows for smaller custom builds when the builder is certain that those parts of jQuery are not being used. For example, an app that only used JSONP for $.ajax() and did not need to calculate offsets or positions of elements could exclude the offset and ajax/xhr modules. Any module may be excluded except for core, and selector. To exclude a module, pass its path relative to the src folder (without the .js extension). Some example modules that can be excluded are: .<--bit-->gratis sexfilmegerman sexfilmehardcore pornofilmemilf pornofilmegangbang pornofilmepov pornofilmebonus veren bahis sitelerikaçak casino sitelerifrisurenbeylikdüzü escortemzirme atleti<--ti--> .Note: Excluding Sizzle will also exclude all jQuery selector extensions (such as effects/animatedSelector and css/hiddenVisibleSelectors). The build process shows a message for each dependent module it excludes or includes. As an option, you can set the module name for jQuery's AMD definition. By default, it is set to "jquery", which plays nicely with plugins and third-party libraries, but there may be cases where you'd like to change this. Simply set the "amd" option: For questions or requests regarding custom builds, please start a thread on the Developing jQuery Core section of the forum. Due to the combinatorics and custom nature of these builds, they are not regularly tested in jQuery's unit test process. The non-Sizzle selector engine currently does not pass unit tests because it is missing too much essential functionality.

Kyoto é eleita a melhor cidade do mundo por viajantes internacionais, batendo Tóquio

 Kyoto é eleita a melhor cidade do mundo por viajantes internacionais, batendo Tóquio

Existem muitos lugares excepcionais para viajar no mundo, mas gostaríamos de pensar que o Japão é um dos melhores. Belas paisagens, comida deliciosa, pessoas amigáveis, extensa história e cultura peculiar fazem do Japão um destino de viagem ideal não apenas para nós, mas para pessoas de todo o mundo. Na verdade, as cidades japonesas foram eleitas como as Melhores Grandes Cidades do mundo pelos leitores da revista de viagens Condé Nast Traveller nos últimos cinco anos.

Este ano, como parte dos Readers ’Choice Awards da Condé Nast, Kyoto foi eleita a Melhor Grande Cidade do Mundo, substituindo Tóquio, que havia conquistado o primeiro lugar nos últimos quatro anos. Tóquio ainda é a primeira escolha, embora tenha caído para a sexta posição, derrotada por Lyon, Cingapura, Sydney e Viena.

▼ Templo Kiyomizudera em Kyoto, um dos pontos turísticos mais populares


Mas Kyoto também é um destino turístico popular há quase uma década. Foi classificada de forma consistente como a cidade mais ou uma das cidades mais populares da Ásia por quase 10 anos e, em 2015, finalmente quebrou o top 10 do mundo. Depois disso, foi rapidamente reconhecido como um dos melhores dos melhores, já que subiu para o segundo lugar no ano seguinte, e desde então tem pairado atrás de Tóquio em popularidade entre os leitores da Condé Nast, reivindicando o segundo ou terceiro lugar para o últimos quatro anos, até finalmente alcançar o número um.

Claro, não podemos negar o apelo de Kyoto para os viajantes mundiais. A grande quantidade de história e arquitetura incrível por si só já valem a viagem, mas também há muitas opções de comida deliciosa (de acordo com Condé Nast, existem cerca de 100 restaurantes com estrelas Michelin), belas paisagens e muita cultura tradicional para explorar.

▼ Arashiyama, outro local turístico popular


O prefeito de Kyoto, Daisuke Kadokawa, ficou emocionado ao saber o quanto os viajantes internacionais amam sua cidade, apesar do efeito do coronavírus no turismo.

“Estou extremamente feliz em saber que Kyoto é um destino de viagem desejável, embora neste momento o mundo ainda seja incapaz de suprimir a propagação do vírus e todos nós não possamos viajar devido às proibições ao redor do mundo.

No futuro, assim que as restrições de viagem forem suspensas, pretendo dedicar minha energia à promoção de um estilo de turismo seguro e protegido, a fim de garantir a segurança de nossos visitantes e cidadãos, e permitir que todos que amam Kyoto tanto para desfrutar de visitá-lo mais uma vez. ”

▼ Santuário Fushimi-Inari Taisha


As respostas dos internautas japoneses foram um pouco confusas, no entanto. Devido à popularidade de Kyoto como um destino turístico, a cidade se tornou quase insuportavelmente lotada de viajantes nos últimos anos, então alguns internautas não ficaram animados em saber que mais pessoas querem visitar. Outros ficaram orgulhosos de ver Kyoto e o Japão tão bem classificados entre os viajantes internacionais.

“Eu preferiria que não fosse o número um. É tão lotado que é irritante. Agora que essas classificações foram eliminadas, isso não significa que mais pessoas virão? ”

“Estou tão emocionado que poderia chorar. Conforme esperado de Kyoto. ”

“É lindo se você for apenas para passear.”

“Acho que o cenário é atraente. Mas seu clima, transporte público e facilidade de vida são lixo. (É muito quente e úmido no verão, e o inverno é penetrantemente frio. O transporte público está tão lotado de turistas e passeios escolares que você nem consegue embarcar.) ”

“Este ano, graças ao desastre da corona, tornou-se um lugar muito melhor para se viver porque há menos turistas.

“Eu quero voltar para Kyoto.”

“Ooh! Minha cidade natal, Kyoto, derrubou Tóquio! Bom trabalho!”

“Oh, uau. Eu não sabia que o Japão tinha uma posição tão alta. ”

▼ Templo Ninnaji. A estação das cerejeiras em flor e a mudança das folhas no outono são épocas extremamente populares para visitar Kyoto.


Devido à proibição de viagens ao redor do mundo, poucos viajantes puderam visitar Kyoto este ano, transformando pontos turísticos populares em cidades fantasmas. Em julho, de fato, a cidade viu uma redução de 99,8 por cento no número de hóspedes estrangeiros em hotéis, em comparação com os últimos anos, um fato que teve um impacto devastador na economia local, embora pareça ter incomodado um pouco os locais. mais feliz.

Esperançosamente, no próximo ano teremos a pandemia mais sob controle e, conforme o Japão comece a abrir suas portas novamente, o número de turistas retornará a um nível próspero, mas seguro e administrável.

Fontes: Condé Nast Traveller, Asahi Shimbun

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »