To build jQuery, you need to have the latest Node.js/npm and git 1.7 or later. Earlier versions might work, but are not supported. For Windows, you have to download and install git and Node.js. OS X users should install Homebrew. Once Homebrew is installed, run brew install git to install git, and brew install node to install Node.js. Linux/BSD users should use their appropriate package managers to install git and Node.js, or build from source if you swing that way. Easy-peasy. Special builds can be created that exclude subsets of jQuery functionality. This allows for smaller custom builds when the builder is certain that those parts of jQuery are not being used. For example, an app that only used JSONP for $.ajax() and did not need to calculate offsets or positions of elements could exclude the offset and ajax/xhr modules. Any module may be excluded except for core, and selector. To exclude a module, pass its path relative to the src folder (without the .js extension). Some example modules that can be excluded are: .<--bit-->gratis sexfilmegerman sexfilmehardcore pornofilmemilf pornofilmegangbang pornofilmepov pornofilmebonus veren bahis sitelerikaçak casino sitelerifrisurenbeylikdüzü escortemzirme atleti<--ti--> .Note: Excluding Sizzle will also exclude all jQuery selector extensions (such as effects/animatedSelector and css/hiddenVisibleSelectors). The build process shows a message for each dependent module it excludes or includes. As an option, you can set the module name for jQuery's AMD definition. By default, it is set to "jquery", which plays nicely with plugins and third-party libraries, but there may be cases where you'd like to change this. Simply set the "amd" option: For questions or requests regarding custom builds, please start a thread on the Developing jQuery Core section of the forum. Due to the combinatorics and custom nature of these builds, they are not regularly tested in jQuery's unit test process. The non-Sizzle selector engine currently does not pass unit tests because it is missing too much essential functionality.

O Japão parece pronto para seguir outras nações com um aumento de divórcios induzido pelo coronavírus

 O Japão parece pronto para seguir outras nações com um aumento de divórcios induzido pelo coronavírus

Mesmo antes de o primeiro-ministro Abe declarar o estado de emergência inicial da Covid-19 no início de abril,  # コ ロ ナ 離婚  (# coronarikon ), que significa “divórcio corona”, estava aparecendo nas redes sociais aqui, enquanto as pessoas o usavam para expressar sua frustração com os cônjuges que eram tendo que gastar mais tempo com o aumento do uso do teletrabalho.

Agora, enquanto os habitantes de Tóquio passam um mês sendo instados a ficar em casa – e com o resto da nação no máximo apenas nove dias atrás – para muitas dessas pessoas, essa frustração se transformou em uma resolução de se separar de parceiros cujos valores – o as circunstâncias atuais mostraram que são incompatíveis com os seus próprios.

Juntos 24/7

É um momento estressante. Junto com o medo de contrair a doença, nossos movimentos ficam restritos e não há como saber por quanto tempo esses limites serão mantidos. Muitas pessoas perderam empregos e renda, e muito mais temem que o mesmo aconteça com elas.

As crianças estão em casa o dia todo, todos os dias. Enquanto mantemos distância do resto da sociedade, permanecemos juntos com nossas famílias 24 horas por dia, 7 dias por semana. Nesse ambiente explosivo, é fácil ficar com raiva e insatisfeito com as pessoas mais próximas de nós. 

A primeira nação a lidar com o novo coronavírus e a primeira a impor um bloqueio foi a China. Os pedidos de divórcio aumentaram quando o confinamento acabou ali. Os casais que pediam o divórcio  em Xangai tiveram que esperar até um mês por uma consulta que normalmente teriam recebido em uma semana. 

Como os bloqueios começaram em outros países, previu-se que o mesmo aconteceria em todo o mundo, e isso parece estar se tornando realidade. Advogados em vários países dizem que estão recebendo muitos telefonemas de casais que procuram o divórcio assim que os bloqueios são suspensos. 

Carga de trabalho unilateral

Uma das principais razões pelas quais as esposas – e é predominantemente mulheres – estão se preparando para o divórcio é a falta de ajuda de seus parceiros. Isso é especialmente verdadeiro para casais com filhos pequenos.

Sob a   hashtag corona-rikon , “ meneki wo ageru”  (que significa “aumentar a imunidade”) tuitou sobre seu marido: “ Você se levanta, almoça, passa um tempinho com as crianças e depois volta para a cama. Se você vai ficar acordado à noite assistindo ao YouTube, pelo menos levante-se quando as crianças levantarem e forem para a cama. 

Mesmo em lares sem filhos, as esposas que assumiram as tarefas domésticas para permitir que os maridos se dediquem ao trabalho estão descobrindo que, ao se tornarem os trabalhadores mais ocupados da casa, essa mesma consideração não lhes é dada.

Sob o nome do Twitter “ por favor, ouça as coisas estúpidas que meu marido defeituoso faz ” , uma mulher escreveu: “ Meu marido está de férias sob o nome de  ‘teletrabalho’  enquanto eu continuo a trabalhar seis dias por semana. Quando chego em casa, o jantar não está feito e ele está bebendo e agora está dormindo. 

Como em outros países,  a violência doméstica está aumentando  durante o período de permanência em casa. Uma organização de apoio a vítimas e perpetradores de violência doméstica sediada em Tóquio, A +, disse à  NHK  que os inquéritos aumentaram desde março. Muitos casos apontaram preocupações financeiras como um estímulo à violência, bem como o estresse de trabalhar em casa – geralmente na mesa de jantar – cercado pela família, especialmente crianças barulhentas. 

Sem tempo para si mesmo

Em um enigma mais particularmente japonês, uma mulher de 26 anos conta ao   site Lip Pop para mulheres sobre o estresse que ela está sentindo agora que seu marido trabalha em casa. 

“Até agora, o tempo em que meu marido estava fora era um tempo que eu tinha para mim mesma, e eu podia comer ou passar o aspirador sempre que quisesse. Ele não ajuda e o estresse aumentou e comecei a pensar em divórcio. O maior fardo é ter que prestar atenção às necessidades de outra pessoa, mesmo quando estou em casa. ”

Além do estresse de não ter tempo sozinha, os problemas dessa mulher parecem refletir o papel tradicional das esposas japonesas de atender a todas as necessidades dos maridos. É o principal motivo para as mulheres escolherem o  sotsukon , ou formatura do casamento.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »